MÁQUINAS PARA DOCES CASEIROS

Manter o sabor artesanal, produzindo com a eficiência da automação é um desafio que você supera com as máquinas para doces caseiros RSA.

Quando o assunto é doce, o consumidor brasileiro tem preferência pelo sabor caseiro. Dessa forma, manter essa característica tão fundamental é um desafio que você supera com as máquinas para doces caseiros RSA.

 

Transportador para Detector de Metais R-TDM

Primeiramente temos o Transportador Para Detector De Metais R-TDM, um equipamento para atender todas as exigências requeridas para o bom funcionamento de um detector de metais.

Nesse sentido, ela atua em matérias-primas específicas, distâncias mínimas entre o detector de metais e elementos de atuação (cilindros pneumáticos e guias) isolados em uma das extremidades.

Antes de mais nada, ela tem uma estrutura robusta, confeccionada totalmente em aço carbono com acabamento superficial a base de esmalte de poliuretano (pintura eletrostática). Além disso, a mesa de sustentação da esteira transportadora é confeccionada em CELERON rígido.

Essa máquina para doces caseiros da RSA tem Esteira Transportadora do tipo sintética, indicada especialmente para trabalhar com detectores de metais.

Nesse sentido, a tração ocorre através de cilindro emborrachado (Borracha atóxica) acionado por motoredutor.

Bem como o sistema de Rejeito de Produtos, que é do tipo retrátil e apoiado sobre mancais e rolamentos acionados através de elementos pneumáticos.

Por fim, o alinhamento da Esteira Transportadora é perfeito graças ao seu com sistema foto-pneumático.

Mesa de Acúmulo Giratória R-MAG

Em primeiro lugar, estamos falando de um equipamento para o final da sua produção. Nela, o operador acumula o produto para manuseio.

Do mesmo modo que nossas outras máquinas para doces caseiros, a mesa de acúmulo tem estrutura robusta.

Ela é confeccionada totalmente em aço carbono com acabamento superficial a base de esmalte de poliuretano (pintura eletrostática) ou em aço inoxidável, apoiada em pedestais bilaterais sobre pés ajustáveis em (+/- 50 mm).

Nesse sentido, a mesa superficial tem como base o aço inoxidável e as guias laterais: são confeccionadas em alumínio e revestidas em UHMW.

O acionamento ocorre por motoredutor de velocidade variável. Suas dimensões são de 1.000 mm de diâmetro e entre 900-1.000 mm de altura de trabalho.

Prateleiras de Resfriamento e Estocagem R-PRE

Ainda no trecho final da produção de doces caseiros, chegamos ao momento de resfriamento e estocagem.

As prateleiras da RSA são confeccionas sob medida. Dessa forma, permitem o abastecimento de bandejas com produtos, tanto para estocagem quanto para resfriamento, seja ele ambiente ou refrigerado.

Sua construção é inteiramente de aço inoxidável e com rodízios de nylon para sua movimentação.

De maneira idêntica a outros equipamentos e máquinas para doces caseiros RSA, sua estrutura é de aço inoxidável. Seus rodízios, contudo, são feitos em nylon, o que facilita o manuseio.

Cozedores de Massas R-CMA

Em nossa jornada por equipamentos e máquinas para doces caseiros da RSA, chegamos ao momento do preparo.

Nesse sentido, nossos Cozedores de Massas R-CMA têm na versatilidade a sua principal característica.

Primeiramente por simplificar a fabricação de massas para doces como brigadeiro, cocada, doces de leite, doce de coco e outros.

Além disso, o equipamento é ideal também para preparos salgados, como massa para coxinha, polenta, rissoles e molho de tomate.

Os cozedores são fabricados totalmente em aço carbono com acabamento superficial a base de esmalte de poliuretano (pintura eletrostática).

Por outro lado, o recipiente de Massa é de alumínio fundido, enquanto os batedores são construídos em aço inoxidável.

Essa máquina para doces caseiros da RSA tem acionamento através de motoredutor com velocidade fixa (variável opcional) bem como fogareiro de alta pressão

Seu consumo é de aproximadamente 500g/h e as dimensões são as seguintes:

2.050 x 900 x 860 mm.

Capacidade Massa Salgada: 69 Kg.

Capacidade Massa Doce: 65 Kg.

Estação de Corte R-ECT

A falta de padronização é um desafio no mercado de doces caseiros. Como resultado, a automação é um dos segredos para atingi-la.

A estação de corte R-ECT corta o tapete já formado e pronto. Em outras palavras, seu corte é realizado no comprimento e na largura ao mesmo tempo.

Equipamento tem bom desempenho nas seguintes massas: geleia de mocotó, bananinha, pé de moça, doce de leite, paçoca, brownie, palha trufada, torrone, quebra queixo, cocada e outras.

 

Características:

Estrutura: robusta, confeccionada totalmente em aço carbono com acabamento superficial a base de esmalte de poliuretano (pintura eletrostática), apoiada em pedestais bilaterais sobre pés ajustáveis em (+/- 50 mm).

Apoio da Esteira Transportadora: sobre mesas confeccionadas em aço inoxidável.

Tração: o acionamento é realizado através de moto-redutor com velocidade fixa.

Esteira: sintética revestida de poliuretano.

Guias Laterais: confeccionadas em inox.

Facas: construídas em aço carbono temperado e revestidas em teflon.

Acionamento da Facas: através de cilindro pneumático.

Corte: longitudinal fixo e transversal variável.

Largura Útil da Esteira Transportadora: conforme necessidade e dimensional do produto.

Comprimento do Transportador: conforme necessidade e dimensional do produto.

Altura de Trabalho: 900/1.000 mm

Extrusora de Massa Seca R-EMS

De antemão, a finalidade desse equipamento é a extrusão de massas a base de leite em pó, tais como: beijinho, biscoitos amanteigados, baby ninho e outros.

Ele é fabricado em rígida estrutura tubular de aço carbono com acabamento em esmalte de poliuretano (pintura eletrostática). Além disso, possui dois cilindros, um recipiente de massa, um sistema sujeitador e transportador.

Primordialmente, os ilindros de arraste têm a função de arrastar e pressionar a massa por dentre as cavidades do sujeitador. A construção desse equipamento tem como base o aço carbono com acabamento superficial em “cromo-duro” polido.

Com o intuito de regular a pressão exercida sobre a massa, a distância entre os citados cilindros é fixa, podendo ser ajustáveis por um sistema de cremalheira que movimenta os mancais móveis nos quais é preso o cilindro superior.

Do mesmo modo, em seu recipiente de Massa ficam sobre os cilindros. Ele é construído em estrutura de aço carbono com acabamento em esmalte de poliuretano (pintura eletrostática), revestido internamente por placas de UHMW e Delrin.

Por fim, o sistema sujeitador forma o produto pela pressão do cilindro de arraste, construído em UHMW e suas cavidades conforme produto a ser extrusado.

Moldeadora Rotativa R-MRT

O último item da lista de nossas máquinas para doces caseiros é a Moldeadora Rotativa R-MRT. Nesse sentido, ela molda massas de recheio a temperatura ambiente. Citamos, por exemplo massas de fondant ou com consistência semelhante, massas de fondant de coco, massas de frutas ou nozes, caramelo macio, bananinha, coco e etc.

Em síntese, o equipamento fornece os centros de produtos com o formato final para serem coberto. Nesse sentido, seu princípio de formação é através de um “Rolo Formador” contendo cavidades com o desenho e dimensão do produto final.

Descrição do Equipamento:

O equipamento é fabricado em rígida estrutura tubular de aço carbono com acabamento superficial em pintura eletrostática. Composto por três cilindros (superior, intermediário e inferior), um recipiente de massa, um sistema sujeitador e um sistema alinhador para esteira transportadora.

Construção

É fabricado em rígida estrutura tubular de aço carbono com acabamento superficial em pintura eletrostática. Composto por três cilindros (superior, intermediário e inferior), um recipiente de massa, um sistema sujeitador e um sistema alinhador para esteira transportadora.

Cilindro Superior (1). Antes de tudo, tem a função de arrastar e pressionar a massa por dentre as cavidades do cilindro intermediário. É construído sobretudo em aço carbono com acabamento superficial em “cromo-duro” polido.

Dessa forma, com o intuito de regular a pressão exercida sobre a massa, a distância entre os citados cilindros é ajustada por um sistema de cremalheira que movimenta os mancais móveis nos quais é preso o cilindro superior.

Cilindro Intermediário (Cilindro Formador) (2). Em suma, as cavidades responsáveis pela formação do centro do produto e o cilindro externo são construídos em UHMW ou Teflon.

Além disso, seu interior é um eixo maciço de aço carbono com acabamento superficial em “cromo-duro” polido. É apoiado sobre mancais bipartidos o que permite fácil troca do mesmo.

Cilindro Inferior (3): Tem a função, acima de tudo, de tracionar a esteira transportadora, localizada de forma a gerar um sistema de ventosas. Fazendo sobretudo com que os produtos se destaquem das cavidades do cilindro intermediário. Construído em aço carbono com acabamento superficial em “cromo-duro” polido.

Observação: Para que o efeito ventoso tenha um alto rendimento no destacamento dos produtos será utilizada uma esteira especial Modelo 08 UF.

Recipiente de Massa (4): Está situado sobre os cilindros, e é construído em estrutura de aço inoxidável, revestido internamente por placas de UHMW.

Sistema Sujeitador (5): Tem como função direcionar a massa, pressionada pelo cilindro superior, por dentre as cavidades do cilindro intermediário bem como eliminar o excesso de massa do mesmo.

Dessa forma, ele impede a formação de rebarba nas extremidades das cavidades. O sistema é composto por um raspador construído de UHMW, preso a rígida estrutura metálica, a qual movimenta-se por dentre guias laterais.

Sistema para Alinhamento da Esteira Transportadora: Tipo foto-pneumático. Os cilindros primordialmente possuem acionamento próprio através de seu respectivo motoredutores, os quais são controlados por inversores de frequência.

É de uma dessas máquinas para doces caseiros RSA que a sua produção precisa? Entre em contato agora mesmo e peça o seu orçamento.